Recomendo: As Crônicas de Artur




Olá pessoas lindas!!!

Vocês provavelmente já ouviram falar de Bernard Cornwell : ) . Esse é o autor de "A busca do Graal" (O Arqueiro, O Andarilho, O Herege) e "Crônicas Saxônicas" (O último reino, O cavaleiro da morte, Os senhores do norte, A Canção da Espada, Terra em chamas, Morte dos reis), entre outros.



Mas eu quero falar aqui é de "As crônicas de Artur".

Claro que sou louca pelas outras histórias, porém delas ainda nada posso dizer... :p

Há tempos eu ganhei a coleção e quase imediatamente comecei a ler e me apaixonei. A história é ótima, com uma narrativa envolvente relatando de uma forma mais realista a história de Artur. Realista no sentido de que não há magia de forma evidente, porém o narrador deixa implícito, ficando a critério do leitor interpretar e decidir sobre a existência (ou não) da magia. Basicamente se vê um conflito entre o druidismo e a chegada do cristianismo.

O narrador em questão é o personagem Derfel Cadarn (leia-se Dervel), adotado por Merlin (sim, ele está na história e é um druida) e amigo de Artur. Derfel conta os eventos testemunhando as tentativas de Merlin de restaurar os antigos deuses, assim como a luta de Artur contra os saxões.


Nessa entrevista ele começa a falar de Cronicas de Artur, aproximadamente em 5:05
Essa é a parte 3/6, continua na parte 4/6, aqui.

A grande questão nessa história é a forma como Cornwell apresenta seus personagens. É possível  perceber caracteristicas mais humanas, seus defeitos, deslizes, interesses, além das partes boas. Não pretendo dar spoiler, mas um bom exemplo disso é Lancelot, que geralmente é apresentado como um fiel cavaleiro, aqui ele é um covarde com fama comprada. Claro, nem nosso herói, Artur, escapa. É mostrado muitos de seus erros, o que o aproxima mais de uma característica humana e o afasta daquela aura de "herói perfeito". E até Merlin, embora não apareça tanto assim no desenrolar da história, continua sendo sábio, porém interesseiro, egoísta.... :p

Isso não quer dizer que eu defenda uma história sem magias e sem características bizarras e irreais. Na verdade eu adoro histórias bizarras e quase sem sentido. O lance é que também fico curiosa com histórias que acabam tendo milhões de versões, como é o caso da história de Artur, e acabo escolhendo uma para gostar mais. Gostei dessa até encontrar outra que vença.

Para quem gosta de história medieval, acredito que gostará muito e mais ainda para quem tem disposição para ler, porque são 3 lindos livros de um bom volume de páginas. Eu particularmente adoro!






 



Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Nada melhor pra fazer então vamos comentar nasse bagaça ;P